ORÇAMENTO DE OBRAS

A Planilha Orçamentária de um empreendimento é a principal ferramenta de gestão da empresa Construtora. Entendemos que a gestão eficiente dos custos de um empreendimento se baseia neste documento.

A Planilha Orçamentária deverá conter informações completas e detalhadas relativas a: relação completa de serviços, quantidades a serem executadas de cada serviço previsto, composições dos preços unitários de cada serviço, separação dos custos unitários dos materiais, dos equipamentos e da mão de obra, custos com mão de obra indireta e com serviços terceirizados, custos com  impostos, taxas e emolumentos diversos, custos com projetos e serviços especializados de Engenharia, além de custos indiretos diversos como hospedagens, fretes, transportes, administração direta e indireta, supervisão, depreciação do ativo fixo, locações, instalações provisórias, despesas financeiras e o custo de oportunidade.

Quanto mais complexa for uma obra, mais detalhado deve ser o orçamento.

Serviços prestados pela TARGET:

  • Cálculo de Quantitativos de Serviços e de Materiais
  • Pesquisas de Mercado: materiais, equipamentos e serviços terceirizados
  • Cálculo do Custo com Mão de Obra Direta e Indireta
  • Cálculo dos Encargos Sociais e Trabalhistas
  • Composições de Preços Unitários
  • Planilha Sintética de Custos – por etapas e custo global
  • Planilha Detalhada de Custos Unitários
  • Curvas ABC – Serviços, Mão de Obra e Materiais
  • Cálculo da Taxa de BDI – Benefícios e Despesas Indiretas
  • Orçamento para Ambiente BIM – budget para objetos.

ORÇAMENTO DE OBRAS E O BIM:

É importante saber que a correta compreensão e análise dos custos de um projeto e os seus fluxos de caixa associados é fundamental para o sucesso de qualquer sistema de gestão no âmbito da Construção Civil.

Inicialmente, é preciso se compreender como a empresa Construtora lida com o Gerenciamento de Custos em sua forma tradicional e, em seguida, comparar esta abordagem com a forma como o assunto é tratado no BIM.

No processo tradicional são utilizadas planilhas, cronogramas e especificações para se determinar o orçamento executivo no início do ciclo de vida do empreendimento, com grande parte dos trabalhos sendo executados de forma manual, em especial o cálculo das quantidades de serviços necessários para a execução completa do empreendimento. Após o início das obras lança-se mão de alguma metodologia para determinar o percentual do trabalho efetivado à medida que o projeto evolui no site do empreendimento. Um processo importante nesta etapa é o Gerenciamento de Valor Agregado, utilizado para medir o consumo de trabalho no projeto em relação ao orçamento inicial do projeto. Esse processo usa fórmulas muito sofisticadas, como Variação de Custos, Índice de Desempenho de Custo, Estimativa para Concluir e Estimativa na Conclusão.

Com relação ao BIM, a estimativa de custos é conhecida como 5D e é um dos componentes essenciais do BIM.

O 5D é uma forma inovadora, interativa, muito mais precisa e mais ágil para se obter informações relacionadas ao custo de um empreendimento, se reduzindo incertezas e se criando um fluxo de informações de melhor qualidade já no início do projeto.

O BIM 5D é usado para vincular os elementos do modelo às suas composições de custos unitários, bastando se solicitar o orçamento da obra por meio de um comando específico para que o software emita planilhas padronizadas contendo a relação de serviços, seus custos unitários e quantitativos de materiais e mão de obra associados. E este processo poderá ser repetido quantas vezes forem necessárias em função de alterações no projeto, tudo de forma automatizada.

A tendência BIM de colaboração e entrada de dados em tempo real continua nos controles de custos durante a execução do empreendimento. Este processo está criando uma mudança de paradigma na apuração e na entrada de dados no sistema de gestão, passando-se, agora, a se relatar estes dados em tempo real a partir do campo, substituindo o processo tradicional de apuração e análise com papel e prancheta.

À medida que a construção avança, há casos em que o custo real efetivado pode ser apurado pela validação em campo de percentuais de serviços já executados, lançando-se mão, nestes casos, de ferramentas como o Navisworks da Autodesk e o Synchro da Bentley que acompanham a execução da obra, em ambiente digital, com extrema riqueza de informações gráficas e gerenciais.